Breaking News
recent

Metade das residências do Piauí têm dificuldade para obter alimentos, diz IBGE

No Piauí, moradores de 468 mil residências enfrentam algum grau de insegurança alimentar, ou seja, dificuldade na obtenção de alimentos. Os dados são do suplemento de Segurança Alimentar da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, divulgado nesta quinta-feira (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A NOTICIA CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






O percentual de domicílios que sofrem com a insegurança alimentar no estado é de 46%, número maior do que a média nacional, 36,7%. Desse modo, o Piauí é o 12° estado com a maior proporção do país.

"Nesses domicílios, onde residem 1,5 milhão de pessoas, a qualidade e/ou quantidade de alimentos disponíveis são consideradas inadequadas, devido à falta de recursos para a aquisição dos produtos", apontou o IBGE.

Os lares piauienses que apresentam enfrentam este problema são divididos em três grupos: os de insegurança alimentar leve (28,9%), moderada (11%) ou grave (6,1%). Entenda cada um deles:

Insegurança alimentar leve: preocupação ou incerteza quanto ao acesso a alimentos no futuro e a qualidade dos produtos adquiridos é inadequada em razão de estratégias que visam não comprometer a quantidade disponível. São 986 mil pessoas nessa situação.

Insegurança alimentar moderada: redução quantitativa de alimentos entre os adultos e/ou ruptura nos padrões de alimentação resultante da falta de alimentos entre os adultos. Há 386 mil pessoas nessa situação no estado.

Insegurança alimentar grave: restrição quantitativa de alimentos entre todos os moradores, incluindo crianças, podendo chegar à situação de fome. São 193 mil pessoas nesse nível.

PUBLICIDADE






Entretanto, a pesquisa revelou que 54% dos domicílios piauienses (550 mil) consideram ter pleno acesso aos alimentos em quantidade e qualidade suficientes. Esse percentual sofreu um aumento em relação ao ano de 2013, que era de 44,4%.

A pesquisa utiliza a Escala Brasileira de Segurança Alimentar (EBIA) para classificar a situação dos domicílios quanto ao acesso a alimentos. As respostas dos moradores foram dadas considerando os três meses anteriores a data da entrevista da pesquisa, cujos questionários foram aplicados entre junho de 2017 e julho de 2018.

Região Norte apresenta maior insegurança alimentar

Em 2013, o Nordeste era a região do país com menor proporção de residências em situação de segurança alimentar, com apenas 61,9%. Porém, os novos dados da pesquisa sobre o assunto revelam que esse título foi passado para a Região Norte, que apresenta 43%.

Santa Catarina é o estado com o maior número de lares que não possuem dificuldades na obtenção de alimentos, com 86,9% do total de residências.

Fonte: G1 PI


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.