Breaking News
recent

Justiça do Piauí nega retorno de atividades em academias, barbearias e salões de beleza

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) negou o pedido para a volta do funcionamento de academias, barbearias e salões de beleza no estado feito por dois advogados que alegaram restrição do direito de ir e vir.

Na decisão, o desembargador Edvaldo Moura declarou que esse direito não justifica a exclusão desses estabelecimentos das normas estabelecidas para evitar a disseminação da Covid-19.
 A NOTICIA CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O fato de se limitar a ida à academia ou salão de beleza, pode, de fato, violar o direito fundamental de quem nesses lugares quiser ir – o seu direito de liberdade. Mas não justifica a tomada de decisão em excepcionar a medida de cunho sanitário para se evitar o alastramento da doença”, diz o desembargador na decisão.

Lockdown parcial no Piauí

Na ação contra o Governo do Estado, os advogados também solicitaram que não fosse decretado 'lockdown' parcial no Piauí. Para o desembargador Edvaldo Moura, o pedido questiona a legalidade dos atos do Executivo estadual, algo garantido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo próprio Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI).

O desembargador classificou a solicitação dos advogados como “inviável” e citou informações sobre a situação da pandemia no estado.

“Os dados são objetivos e, apesar das subnotificações existentes, já demonstram números assustadores”, afirmou Edvaldo Moura na decisão.
De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do Piauí, na noite desse domingo (24), o estado já 3550 casos confirmados de infecção pelo coronavírus e 110 mortes pela Covid-19.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.