Breaking News
recent

Governador reforça o pedido de isolamento social e diz que “mais pessoas vão morrer”

Em live nesta quarta-feira (29), o governador Wellington Dias (PT) defendeu o isolamento social, afirmou que precisa de tempo para evitar o colapso e garantiu que "mais pessoas vão morrer" se não forem respeitados a quarentena.

Ele iniciou a live avaliando as ações tomadas pelo Estado no enfrentamento ao novo coronavírus e ressaltou que o isolamento social foi primordial para que os números de casos confirmados não fossem maiores que os apresentados atualmente.

Segundo o governador, há 15 dias o Piauí tinha 51 casos confirmados, e hoje são 454. Com uma média de 10% de aumento a cada dia.

"Lembra qual era a previsão de óbitos para o Piauí, no início de março? Era de 18 mil óbitos. Só não chegamos por causa do isolamento que adotamos e não se pode duvidar desses números, basta olhar o que aconteceu na Itália, Espanha, o que está acontecendo em São Paulo, Rio de Janeiro e em Manaus, que as covas estão sendo abertas com retroescavadeiras. Nós podemos evitar esse colapso, mas eu preciso de tempo, de isolamento social, para ampliar a rede de saúde, para a atender a demanda que vai crescer e quero que todas as pessoas que precisarem possam ser atendidas", explica o governador.

Wellington Dias reforça que "isolamento social é preservar vidas".

Para o chefe do executivo estadual, a manutenção do isolamento vai ajudar que o pico de contaminação, ainda ascendente no estado, seja menor e aconteça de forma mais lenta, dando tempo para que mais unidades de saúde sejam preparadas para receber os doentes.

"Nós estamos com uma curva ascendente e tem uma subida retilínea, não podemos dizer ao certo quando será o pico, estamos trabalhando com a ciência que tem estudado quando vai acontecer. A Covid-19 já está em todas as regiões do Estado, já são 54 municípios e conclamamos os prefeitos para acelerar os testes porque muitos estão sem casos, mas é preciso permanecer em alerta porque tem muita gente que nem sintomas têm", afirmou.

Ele agradeceu por 50,7% dos piauienses estarem cumprindo o isolamento social, que está sendo monitorado através da empresa In Locu, mas disse que teve que determinar o uso de máscaras porque a outra metade continua se deslocando.

"50,7% dos piauienses não estão em movimento, transitando pelas vias. Estamos na quarta colocação do Nordeste neste mapa do isolamento, atrás do Ceará, Pernambuco e Maranhão e por conta da situação nesses três estados que já estão com quase 100% das suas vagas de UTI ocupadas. Mas, eu não quero que fiquem confiantes, porque ainda tem vaga em UTI, em leitos clínicos e saírem para ruas, de serem contaminados e chegar a um ponto que já chegaram os outros estados. Não estou conformado com esse número, é ainda baixo e por isso precisamos muito da sua colaboração", enfatiza.

Dificuldades na aquisição de UTIs

Wellington Dias informou que o número de leitos clínicos, de estabilização e de UTIs já foram ampliados em 15 vezes em relação ao ano passado, mas o número ainda é pequeno para atender a necessidade e ainda alertou para a falta de profissionais .

Segundo ele, o número era para ser maior, mas não está conseguindo adquirir os equipamentos, tanto os comprados diretamente com fornecedores, quanto os prometidos pelo governo federal.

"É lamentável que vivamos um leilão mundial. Um ventilador que era vendido por 18 mil dólares hoje está custando 50 mil dólares, mas pela necessidade fizemos a compra, junto com o prefeito de Teresina, Firmino Filho e não tivemos a entrega. Temos um plano para chegar a 600 leitos de UTIs e estabilização por volta do dia 15 a 20 de maio e está fácil. Por isso queremos o grau mais baixo de contaminação e garantir atendimento para todos".

Ele alerta que na data de hoje, 33% dos leitos destinados para Covid em UTIs já estão ocupados e há uma semana era apenas 17%. "Praticamente dobrou em uma semana, que complicou e precisou de UTI e precisamos ir dando conta de mais leitos". 

Barreiras nas divisas

O governador informou também que as barreiras sanitárias realizadas nas divisas do estado ajudaram a evitar contaminação. Segundo ele, foram 2481 pessoas em 32 municípios que permaneceram em quarentena originárias de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Ceará, Pernambuco e Maranhão que entraram no estado e foram orientadas a permanecerem em isolamento por pelo menos sete dias.

"Detectamos nas barreiras, pessoa que estava infectada, mas como ficou isolada, sua família não pegou. O risco de importação do vírus deve está sob controle, não adiante eu ficar trabalhando aqui dentro e deixar as fronteiras abertas, porque é enxugar gelo. Por isso preciso de uma equipe engajada e empoderada e aqui agradeço ao Exército, a Marinha, as Polícias Militar, Civil, Rodoviária Federal, Federal e todos os profissionais que estão trabalhando nos municípios e no litoral em ferrovia, no mar, nos aeroportos e nas rodovias federais e estaduais", destacou.

Fonte: cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.